fbpx
AtiVet Redondo Contorno Azul 150x150

Vermes em Cães Podem Ser Fatais

Os principais vermes intestinais em cães incluem lombrigas, ancilostomídeos, tricurídeos e tênias. Esses vermes danificam o trato digestivo ou interferem na absorção de nutrientes essenciais, ou ambos. Alguns parasitas gastrointestinais de cães também podem causar doenças em pessoas.

Os mais comuns são descritos a seguir. 

Vermes redondos em cães, os nematódeos

As lombrigas grandes, conhecidas como ascarídeos, são comuns em cães. A espécie mais importante é o Toxocara canis, não apenas porque suas larvas podem migrar nas pessoas, mas também porque as infecções em cães são comuns. Infecções fatais podem ocasionalmente ser vistas em filhotes. A Toxascaris leonina é normalmente muito menos comum e geralmente observada em cães mais velhos.

Em cães, a infecção com Toxocara canis geralmente ocorre por transferência para o feto em desenvolvimento através da placenta. Os vermes podem ser encontrados nos intestinos dos filhotes logo 1 semana após o nascimento. Os filhotes também podem ser infectados durante a amamentação. Se os filhotes com menos de 3 meses comeram os ovos que estão no ambiente há pelo menos 4 semanas, os ovos eclodem, liberando larvas que penetram na parede intestinal. As larvas migram através do fígado, alcançam os pulmões através da corrente sanguínea, são tossidas, engolidas e amadurecem e se tornam adultos produtores de ovos no intestino delgado. Muitas larvas são transportadas pela corrente sanguínea para outras partes do corpo do cão e permanecem nos tecidos do cão por anos em uma forma inativa. Se ocorrer supressão do sistema imunológico, essas larvas podem se tornar ativas.

Normalmente, os cães adultos apresentam alguma resistência a infecções. No entanto, durante o período em torno do nascimento de uma ninhada, a imunidade da cadela à infecção é parcialmente suprimida, e as larvas inativas tornam-se ativas, penetrando a placenta e atingindo os filhotes, e atingindo o tecido mamário, onde são transmitidas no colostro e leite. Devido à supressão do sistema imunológico no momento do parto, infecções ativas podem ocorrer na cadela prenhe, com um número substancial de ovos eliminados nas fezes.

A primeira indicação de infecção em animais jovens é a falta de crescimento e a perda da condição física. Animais infectados têm uma pelagem opaca e muitas vezes parecem “barrigudos”. Os vermes podem ser vomitados e frequentemente eliminados nas fezes. Nos estágios iniciais, as larvas migratórias podem causar pneumonia, que pode estar associada à tosse. Diarreia com muco pode ser evidente. A infecção em cães é diagnosticada pela detecção de ovos de lombrigas nas fezes usando um microscópio.

Como as pessoas, especialmente as crianças, podem ser infectadas com lombrigas, é importante praticar uma boa higiene (por exemplo, remoção imediata de fezes e lavagem das mãos) em áreas potencialmente contaminadas ou ao redor dos cães afetados.

Vermes ganchudos em cães

Vários tipos de ancilóstomos podem causar doenças em cães. Ancylostoma caninum é a principal causa da ancilostomíase canina na maioria das áreas tropicais e subtropicais do mundo. Ancylostoma braziliense infecta cães e é esparsamente distribuído da Flórida à Carolina do Norte e ao longo da costa do Golfo nos Estados Unidos. Também é encontrado na América Central e do Sul e na África. Uncinaria stenocephala é a principal ancilostomíase canina em regiões mais frias. É a principal ancilostomíase canina no Canadá e na orla norte dos Estados Unidos, mas é encontrada com frequência em todo o país.

Os ovos de ancilóstomo são eliminados pelas fezes 15 a 20 dias após a infecção. Eles eclodem em 1 a 3 dias quando depositados em solo quente e úmido. A transmissão pode ocorrer quando as larvas são ingeridas ou, no caso de A. caninum , do colostro ou leite de cães infectados. Infecções por espécies de Ancylostoma também podem resultar da invasão larval através da pele. A penetração na pele em filhotes é seguida pela migração das larvas através do sangue para os pulmões, onde são tossidas e engolidas para amadurecer no intestino delgado. No entanto, em animais com mais de 3 meses de idade, as larvas podem permanecer nos tecidos do corpo em um estado de desenvolvimento interrompido. Essas larvas são ativadas após a remoção dos vermes adultos do intestino ou durante a gravidez, quando se acumulam no intestino delgado ou nas glândulas mamárias da mãe.

A anemia em filhotes é o sinal característico, e muitas vezes fatal, de infecção por Ancylostoma caninum . A anemia é o resultado da sucção de sangue pelos vermes e do sangramento em feridas internas que ocorrem quando esses ancilóstomos mudam seus locais de alimentação interna no intestino delgado, deixando feridas abertas em seu rastro. Os cães sobreviventes desenvolvem alguma imunidade e mostram sinais menos graves. No entanto, animais desnutridos e enfraquecidos podem continuar a crescer mal e sofrer de anemia de longo prazo. Cães maduros e bem nutridos podem abrigar alguns vermes sem dar sinais, e podem ser a fonte direta ou indireta de infecção para filhotes. Anemia, perda de apetite, perda de peso e fraqueza se desenvolvem na doença de longa duração. A pneumonia pode ocorrer em filhotes com infecções avassaladoras, dificultando a respiração.

Vermes chicote em cães

Tricurídeos adultos ( Trichuris vulpis ) em cães são normalmente encontrados no intestino grosso. Os ovos são eliminados nas fezes e se tornam infectantes em cerca de 4 a 8 semanas. Em condições ideais, os ovos dos vermes chicote podem permanecer dormentes no ambiente por vários anos, a menos que se tornem secos. Uma vez que os ovos infectantes são ingeridos, as larvas se desenvolvem no intestino delgado e então se movem para o ceco e o cólon, onde os adultos amadurecem.

Infestações leves não costumam causar problemas, mas quando aumenta o intestino grosso (ceco e cólon) pode ficar inflamados, o que pode causar diarreia e perda de peso. Sangue fresco pode ser visto nas fezes em infecções graves e também pode ocorrer anemia.

Vermes chatos em cães, os cestódeos

Vários tipos de vermes chatos podem infectar cães. As tênias adultas são vermes segmentados encontrados no intestino dos cães. Eles raramente causam doenças graves.

A maioria dos cães urbanos adquire Dipylidium caninum (a tênia comum em cães e gatos) ao comer pulgas. Os cães suburbanos, rurais e de caça têm mais acesso a vários pequenos mamíferos, além de carne crua e vísceras de grandes mamíferos, então ficam mais expostos a uma série de espécies diferentes de tênias, que normalmente são das espécies Taenia sp. ou Echinococcus granulosus . Outras espécies de tênias que podem infectar cães incluem Spirometra mansonoides e espécies Diphyllobothrium sp. e Mesocestoides sp..

Os sinais de infecção variam desde a falta de digestão e absorção normal dos alimentos, mal-estar, irritabilidade, apetite variável e pelagem desgrenhada até cólicas e diarreia leve. Pode não haver sinais em casos leves. Em casos raros, observam-se telescopagem do intestino (intussuscepção), emagrecimento e convulsões.

Trematódeos

Os trematódeos são uma classe de parasitas que podem infectar cães e muitos outros tipos de animais. Eles têm um ciclo de vida complexo, que pode envolver vários hospedeiros intermediários, como sapos, moluscos e lagartixas.

O Clonorchis sinensis, causador da doença clonorquíase, é um verme hepático, e causa dores fortes na parte superior do abdômen (onde se localiza o fígado) e se não tratada pode causar sérios danos ao processo de digestão, levando ao profundo enfraquecimento do animal e podendo causar a morte. 

Fascíolas pulmonares, como são conhecidos os vermes Paragonimus spp., são transmitidas principalmente através do consumo de crustáceos crus ou mal cozidos, como camarões e caranguejos, mas podem também ser transmitidos pela carne suína crua que esteja contaminada. As fascíolas pulmonares afetam cães, gatos e também o homem e podem não apresentar sintomas no início da infecção, porém com o decorrer do tempo podem causar tosse, febre e dificuldades respiratórias, podendo chegar a ocasionar morte súbita.

Vermes em Cães: previna-se

Tratamentos preventivos, controle de pulgas e limpeza de dejetos caninos podem ajudá-lo a evitar problemas graves causados por vermes para seu cão.

Testes anuais regulares para vermes de coração e intestinais são uma boa ideia. Consulte regularmente seu Veterinário, ele é o profissional correto para indicar o uso de vermífugo para cães.

Obras consultadas:

PEREGRINE, Andrew S. Gastrointestinal Parasites of Dogs. Última revisão em: Maio 2018. Disponível em: <https://www.msdvetmanual.com/dog-owners/digestive-disorders-of-dogs/gastrointestinal-parasites-of-dogs?query=worming%20your%20dog> Acesso em: 22 junho 2021.

One thought on “Vermes em Cães Podem Ser Fatais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.