fbpx
AtiVet Redondo Contorno Azul 150x150

Hachiko: Uma História de Lealdade

A maioria das pessoas conhece a história de Hachiko, o fiel cão Akita que esperou por seu dono muito depois de ele ter falecido. Muitos visitantes do Japão veem a estátua de Hachi na estação de Shibuya.

Nascimento de Hachiko

Hachiko nasceu em 1923 em uma fazenda perto da cidade de Odate, em Akita. Em 1924, Hidesaburo Ueno, um professor da Universidade de Tóquio, pegou Hachi como animal de estimação e o conduziu até Tóquio, quando deu seu nome. Hachi é a palavra para o número oito em japonês, que é considerado um número da sorte.

Hachi costumava seguir o professor Ueno até a estação de Shibuya todas as manhãs, onde o professor pegava o trem para o trabalho. À tarde, o cachorro ia buscá-lo para irem juntos para casa. Isto aconteceu pelo período de 1 ano e 4 meses.

Falecimento do Professor Ueno

Em 21 de maio de 1925, Hachi acompanhou o professor Ueno à Estação como sempre, mas Ueno não voltou naquela tarde. Ele sofreu uma hemorragia cerebral na universidade e faleceu. Sem saber da morte de seu dono, Hachi continuou voltando para a Estação Shibuya todos os dias para esperar por ele.

As pessoas tentaram levar Hachiko, mas ele continuou se libertando para ir para a estação de Shibuya. Finalmente, ele se estabeleceu na casa do ex-jardineiro de Ueno, perto da estação de Shibuya. No entanto, isso não o impediu de ir à estação de Shibuya todos os dias exatamente no horário em que seu dono normalmente voltaria.

Os funcionários da estação e alguns residentes não ficaram felizes com o ‘cachorro vadio’ rondando a estação e tentaram afugentá-lo várias vezes. Mas nada poderia impedir Hachi de voltar todos os dias para esperar por seu mestre.

Hachiko fica famoso

Ele ficou famoso depois que um dos ex-alunos do professor Ueno ouviu falar da história de Hachi e escreveu sobre ele. Hachi foi até designado um ícone nacional de lealdade depois que sua história foi publicada no início dos anos 1930. As pessoas adicionaram o “ko” (palavra que expressa afeto) ao seu nome em reconhecimento à sua lealdade. Ele é hoje conhecido como Hachiko.

Hachiko acabou esperando por seu dono todos os dias por quase dez anos, até seu falecimento em março de 1935.

Locais da História

1. Estação Shibuya e a Estátua de Hachiko

A famosa estátua de bronze de Hachi está localizada bem em frente à saída Hachiko. da estação de Shibuya. Ele supostamente ficava sentado exatamente ali, todos os dias, para esperar pelo professor Ueno.

Mas você sabia que esta não é a estátua original? A estátua original foi produzida em 1934, um ano antes da morte de Hachi. O próprio Hachiko estava presente quando a estátua foi revelada. No entanto, a estátua original foi derretida e reciclada nos esforços de guerra da Segunda Guerra Mundial. Em 1948, Takeshi Ando, ​​filho do artista original, criou a estátua que podemos ver na estação de Shibuya hoje.

Muitos amantes de cães ainda celebram Hachi todos os anos, comemorando o dia de sua morte, 8 de março, visitando a estátua e oferecendo presentes. No entanto, a estátua não é a única peça de arte relacionada a Hachiko que você pode ver ao redor da estação Shibuya. Você também pode ver uma arte em mosaico colorido na parede da estação, bem em frente à saída Hachiko. Ela mostra Hachiko em diferentes poses, bem como alguns filhotes da raça Akita. Até as tampas de bueiros ao redor da estátua têm Hachi sobre elas. E se você entrar na passagem subterrânea abaixo da estátua, você encontrará pegadas de cachorro por todo o chão. Elas deveriam representar as pegadas de Hachiko. Se você quiser se afastar ainda mais da estação, também pode encontrar uma pequena réplica da famosa estátua de Hachiko em frente à loja Tower Records Shibuya.

2. A Universidade de Tóquio em Ueno

Em 2015, a Universidade de Tóquio produziu uma estátua em homenagem a seu ex-funcionário e seu famoso cachorro, quando da comemoração do 80º aniversário da morte de Hachi. No Japão, 80 é pronunciado hachi-juu, então foi um ano especial para Hachi. A estátua mostra o professor Ueno e Hachi reunidos e felizes. O campus está aberto à visitação e a estátua está localizada bem ao lado da entrada. Há até holofotes iluminando-a à noite. É uma visão verdadeiramente emocionante. A estátua está localizada ao lado do Portão No-Seimon do Campus Hongo, que pode ser facilmente acessado de Ueno. 

Um fato pouco conhecido é que o museu de arquivos da Faculdade de Agricultura da Universidade de Tóquio também exibe alguns dos órgãos preservados de Hachi. Hachi foi dissecado após sua morte. Seus órgãos foram realmente reexaminados em 2011 para investigar a causa de sua morte. 

3. O Museu Nacional da Natureza e Ciência de Ueno

Você pode se surpreender ao saber que pode encontrar o verdadeiro Hachiko no Museu Nacional da Natureza e da Ciência em Ueno. Muitas pessoas passam por ele sem nem mesmo reconhecê-lo. A placa diz apenas “Cachorro Akita (Hachi)”, então você pode pensar que a taxidermia exibida com dois outros cães é apenas um cachorro Akita aleatório, mas é na verdade o verdadeiro corpo taxidermizado do leal Hachiko!

Ele é exibido junto com Jiro, outro herói nacional. Jiro é um dos dois ‘Huskies Sakhalin Japoneses’ famosos por serem os únicos dois cães que sobreviveram um ano na Antártica depois de serem abandonados durante uma expedição científica fracassada ao Pólo Sul.

4. Cemitério de Aoyama

Hidesaburo Ueno, dono de Hachiko, está enterrado no cemitério de Aoyama. O cemitério de Aoyama é especialmente bonito na primavera, pois também é um famoso ponto de observação das flores de cerejeira.

5. Cidade de Odate, em Akita, local de nascimento de Hachiko

Hachi nasceu em uma fazenda perto da cidade de Odate, em Akita, como um cão Akita de raça pura. A cidade se orgulha de ser o berço do famoso cão. Você pode encontrar estátuas e quadrinhos de Hachi onde quer que vá. Em frente à Estação Odate, você pode encontrar a outra estátua famosa de Hachi mostrando um jovem Hachi. O original foi construído alguns meses após a estátua em Shibuya e sofreu o mesmo destino na Segunda Guerra Mundial. Foi reconstruído no mesmo ano que o Hachi de Shibuya.

Por um tempo, eles até tentaram pegar a famosa estátua da estação de Shibuya porque queriam que Hachi voltasse para casa. Em 2004, a Prefeitura de Akita produziu um Hachi em frente ao Museu do Cachorro de Akita, em Odate.

História imortalizada

A história de lealdade e amor de Hachi nunca deixa de tocar os corações e ele nunca será esquecido. Seu legado é mantido vivo na literatura e no cinema em todo o mundo.

Lançado em 1987, o filme japonês chamado “Hachiko Monogatari” conta a história de Hachiko e o Professor Ueno. A versão de Hollywood do filme chamada “Hachiko: A Dog’s Story” foi lançada em agosto de 2009. Existem também vários livros infantis escritos sobre Hachiko. O filme e os livros são especialmente recomendados para amantes de cães em todos os lugares ou para alguém que deseja uma afirmação ou lembrança do amor e da devoção.

Fontes:

Editores da Japan Inside. Hachiko – A Grande História. Website da Japan Inside. Disponível em: <https://japaninsides.com/hachiko-%E5%85%AB%E5%AD%90-the-great-story/> Acesso em: 02 Março 2021.

MISCHKE, Chiara. Meet Hachiko! 5 Places Related To Japan’s Famous Loyal Dog. Matcha Website. Publicado em: 03 Setembro 2019. Disponível em: <https://matcha-jp.com/en/5563> Acesso em: 02 Março 2021.

SIMMONS, Jane. Akita Inu japonês: A história de Hachiko, o cão leal. Website da PetHelpfull. Publicado em: 23 Julho 2019. Disponível em: <https://pethelpful.com/dogs/Akita-Inu-the-Story-of-Hachiko-the-loyal-Akita-dog> Acesso em: 02 Março 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.