fbpx
AtiVet Redondo Contorno Azul 150x150

Galo Selvagem deu origem ao Galo Doméstico

O galo selvagem é nativo do sul da Ásia, particularmente das selvas da Índia. O galo doméstico, Gallus gallus domesticus, originou-se a partir de uma população continental de Gallus gallus

O galo selvagem pode viver até dez anos. O processo de muda, para um adulto, leva cerca de três a quatro meses por ano. 

Classificação Zootécnica

Reino

Animalia

Filo

Chordata

Classe

Aves

Ordem

Galiformes

Família

Phasianidae

Gênero

Gallus

Espécie

Gallus gallus

Habitat do Galo Selvagem

O galo selvagem vive em florestas. De manhã ou à noite, a ave pode ser encontrada em uma área aberta, por meio de amplas áreas de terra ou clareira, onde a ave selvagem vermelha encontra alimento. Às vezes o galo selvagem pode ser visto nas propriedades de plantações em geral.

Descrição física do Galo Selvagem

A plumagem de galo selvagem é dourada, vermelha, marrom, marrom escuro, laranja, com um pouco de verde metálico e cinza. Existem também algumas penas brancas e verde-oliva. Duas manchas brancas, em forma de orelha, aparecem em cada lado da cabeça. 

O galo selvagem pode ser distinguir de outras galinhas não só por essas manchas brancas, mas também pelos pés cinzentos. As aves selvagens vermelhas podem medir até 70 centímetros de comprimento. Eles têm um total de quatorze penas de cauda, que chega a 28 centímetros de comprimento. Diz-se que o galo selvagem tem uma cor mais brilhante que seu parente domesticado. 

Reprodução do Galo Selvagem

A época de reprodução do galo selvagem é primavera e verão. Os pintinhos começarão suas vidas no calor do sol do verão. Um ovo é posto a cada dia. Por 21 dias antes da eclosão, o pintinho se desenvolverá dentro do ovo. No primeiro dia, o coração e os vasos sanguíneos do pintinho se desenvolvem e começam a funcionar. No final do primeiro dia, a cabeça começa a tomar forma. No quarto dia, todos os órgãos do futuro pintinho estão presentes. No quinto dia, a estrutura sexual externa se desenvolveu. Por volta do décimo terceiro dia, o esqueleto começa a calcificar com o uso do cálcio da casca do ovo. Desde a postura do ovo até a eclosão, o pintinho se alimenta da gema que o envolve. A gema penetra no corpo do pintinho pelo umbigo. No vigésimo primeiro dia, o pintinho, já totalmente desenvolvido, começa a romper sua casca fina. Essa ação pode levar de dez a vinte horas. 

Por volta das quatro a cinco semanas de idade, os pintinhos estão normalmente com a plumagem completa. A primeira pena de suas asas adultas levará mais quatro semanas para crescer. Quando os filhotes têm 12 semanas, a mãe os expulsa do grupo. Eles então formarão seu próprio grupo ou entrarão em outro. Aos cinco meses, os filhotes atingem a maturidade sexual. As fêmeas atingem a maturidade sexual um pouco mais tarde que os machos.

Tempo de vida / longevidade

Status de média de vida, em cativeiro, é de 30 anos. Em estado selvagem, 10 anos.

Comportamento do Galo Selvagem

O galo selvagem tem sistema social muito distinto envolvendo uma hierarquia. Há uma hierarquia feminina e outra masculina.

A ação física para dominar é levantar a cauda e a cabeça. A submissão é mostrada quando um abaixa a cauda e cabeça, agacha, e inclina a cabeça para um lado. As galinhas se alimentam com segurança sob a proteção do galo dominante. Para lutar, as galinhas precisam se afastar pelo menos três metros do galo dominante. Quando um galo dominador morre, o próximo galo superior na hierarquia assume o comando imediatamente. A hierarquia é introduzida aos pintinhos quando eles têm apenas uma semana de idade. A esfera de influência do galo dominante é de cerca de 18 a 21 metros.

Hábitos alimentares do Galo Selvagem

O galo selvagem é um herbívoro e insetívoro. As aves selvagens comem minhocas, grama e diferentes tipos de grãos encontrados no solo. Eles não podem detectar sabores doces. Eles podem detectar o salgado, mas a maioria das aves selvagens não gosta deste sabor.

Estado de conservação do Galo Selvagem

O galo selvagem foi, em sua maioria, cruzado geneticamente com galinhas domésticas e selvagens, como mostrou uma pesquisa com 745 espécimes de museus. Um sinal de genótipos selvagens puros para G. gallus é , para os machos, uma plumagem de eclipse. Esta plumagem de eclipse foi vista apenas em populações no oeste e centro da distribuição geográfica da espécie. Acredita-se que G. gallus desapareceu do extremo sudeste da Ásia e das Filipinas. Esta sugestão é apoiada por uma intensa coleção científica feita em 1860. Na década de 1960, estudos no nordeste da Índia revelaram uma população de galo selvagem exibindo a plumagem do eclipse. A pureza das espécies está em perigo por causa da densa população humana da região, cujas galinhas domésticas poderiam cruzar com o Gallus gallus.

Fontes:

Animal Diversity Editors. Gallus gallus: red junglefowl. Animal Diversity Website. Disponível em: <https://animaldiversity.org/accounts/Gallus_gallus/classification/> Acesso em: 02 Fevereiro 2021.

GAUTIER, Zoe. Gallus gallus: red junglefowl. Animal Diversity Website. Disponível em: <https://animaldiversity.org/accounts/Gallus_gallus/> Acesso em: 01 Fevereiro 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.